CA Caixa adia decisão que poderia abrir caminho para privatização

Publicado por:Rogerio Novaes

Possível “privatização camuflada” do banco foi denunciado pelas entidades de classe dos funcionários

Matéria do ICL Notícias

Por Heloisa Villela

O Conselho de Administração da Caixa Econômica Federal não conseguiu aprovar a transferência das operações das Lotéricas para a subsidiária da empresa. A pressão dos funcionários, que são contra a manobra, forçou um adiamento. Eles temem que essa transferência seja apenas o primeiro passo no rumo da privatização de toda a atividade.

Por lei, o Congresso Nacional teria que aprovar a venda de qualquer subsidiária da Caixa. Mas os empregados afirmam que é mais fácil passar no Parlamento a venda de um pedaço da empresa do que partir para a privatização completa da CEF. Durante os meses em que presidiu a Caixa, no primeiro ano do governo Lula, Rita Serrano preparou o fechamento da Lotex, subsidiária criada no governo Temer, mas não chegou a completar a operação. Assim que Carlos Vieira assumiu o cargo, indicado pelo presidente da Câmara Arthur Lira (PP–AL), o fechamento da Lotex foi revertido.

Fabiana Uehara, diretora do Sindicato de Bancários de Brasília, foi eleita para a cadeira dos representantes dos funcionários da Caixa no Conselho de administração da empresa. Ela deve tomar posse em abril. “Eu acho que o governo não tem ciência do que está acontecendo. Essa pauta deve ser retirada”, jogada mais para frente, afirmou Fabiana. Depois de uma hora de discussão, foi o que aconteceu. Os conselheiros chegaram a discutir a necessidade de tomar cuidado com possíveis prejuízos, pelos quais terão que responder pessoalmente.

Loterias da Caixa

Loterias da Caixa

Carta contra privatização da Caixa

O Conselho de Administração da Caixa é formado por oito membros. Seis são indicados pelo governo federal, um é eleito pelos funcionários da CEF e o presidente do Conselho é o secretário do Tesouro Nacional. Por isso, a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf–CUT) enviaram uma carta ao ministro da fazenda Fernando Haddad alertando para o que está acontecendo.

A carta destaca: “historicamente, as loterias da Caixa têm sido fundamentais para a redução das desigualdades sociais no país, por meio do repasse de recursos às políticas sociais. Cerca de 40% do lucro da Caixa Loterias é para investimentos em saúde, educação e projetos sociais”. A carta lembra ainda que a Caixa tem experiência e eficiência acumuladas ao longo de décadas de administração das Loterias e pediu ao Ministro Haddad que revise a criação da subsidiária.

“Nós empregados estamos denunciando que caso as operações de loteria passem para uma subsidiária, uma privatização pode acontecer e quem perde é a Caixa, porque perde recurso, e a população, porque perde programas sociais”, disse Antonio Abdan, secretário de finanças do Sindicato dos Bancários de Brasília e funcionário da Caixa há mais de 35 anos.

Aposentadas da CEF, Márcia Cumer e Lilia Machado Cabral enfrentaram a chuva no fim da tarde da segunda-feira, dia 18, enquanto o Conselho de Administração estava reunido a portas fechadas. “Fomos surpreendidos por essa transferência”, disse Márcia.

Para Lilia, a sociedade brasileira é a grande acionista da Caixa e a tentativa de privatizar qualquer atividade da empresa vai contra os interesses da sociedade. “Estamos aqui para alertar que a população só vai perder com isso”, disse Lilia. No ano passado, a Caixa Loterias repassou R$ 9 milhões para programas sociais do governo. “Esses programas vão fazer muita falta, inclusive para o governo Lula”, alertou.

Influência de Lira

Além de indicar o presidente da Caixa, Carlos Vieira, que substituiu Rita Serrano, Arthur Lira exerce influência direta em segmentos do banco que o interessam diretamente. Foi por isso que venceu a disputa de poder com o governo federal e conseguiu que o Ministério da Fazenda anunciasse a saída do assessor especial José Francisco Manssur. Ele era o responsável pela área de apostas esportivas eletrônicas — as chamadas bets.

De acordo com a jornalista Letícia Casado, do UOL, desde 2023, com o avanço da regulamentação das apostas, o grupo do presidente da Câmara dos Deputados fazia forte pressão sobre o ministro Fernando Haddad.

Para evitar mais desgastes na aprovação de pautas de interesse do governo federal no Congresso, o chefe da Fazenda decidiu ceder ao avanço de Lira e resolveu substituir Manssur.

Fonte: ICL Notícias

 

Relacionados

Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design - 2024-04-04T161955.178
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (100)
CEE questiona mudanças e solicita esclarecimentos da Caixa
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (98)
Representações dos empregados da Caixa cobram avanços na m...
Post para redes sociais colorido aniversário do Rio de Janeiro (2)
CA Caixa adia decisão que poderia abrir caminho para priva...
Post para redes sociais colorido aniversário do Rio de Janeiro
Contraf-CUT repudia criação de subsidiária para controlar ...