Sindicatos cobram do Santander o pagamento de horas extras pelo trabalho no sábado 22

Publicado por:Rogerio Novaes

Caso o pedido seja negado, o jurídico do Sindicato manterá a ação judicial cobrando as horas extras.

O movimento sindical, por intermédio da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS), enviou ofício (leia aqui) ao Santander cobrando o pagamento das horas extras, bem como o crédito em conta correspondente ao Vale Refeição do dia, aos bancários que trabalharam no sábado 22, por conta do lançamento da campanha “Desendivida”.

O Santander convocou os bancários para trabalharem no último sábado, dia 22 de janeiro de 2022, à revelia do Movimento Sindical e também dos próprios funcionários, que demonstraram muita indignação com esta convocação, em pleno sábado e ainda em meio a uma pandemia agravada por um surto de gripe.

Representantes dos sindicatos entendem que bancário não trabalha aos sábados, em face da legislação trabalhista e da Convenção Coletiva de Trabalho, que tratam sobre jornada. É entendimento também, que todo trabalho deve ser remunerado, e não compensado.

Ação de Ribeirão e Região segue na Justiça

O Sindicato dos Bancários de Ribeirão Preto e Região, conseguiu liminar que barrava a abertura das agências no sábado (22), cassada em seguida. Essa mesma ação ainda segue na justiça, tendo em vista que no pedido inicial a entidade, solicitou ao juiz que, em caso de permissão de abertura das agências naquela data, determinasse ao banco o pagamento das horas extras e a não inclusas no banco de horas como desejava o Santander.

Relacionados

Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (61)
PLR: Alguns bancos já anunciaram data de pagamento
STF
STF veta demissão imotivada de empregados públicos
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (56)
Santander: Coe discute multicanalidade e horas negativas c...
a_notícia Santander
COE vai negociar multicanalidade e horas negativas com o S...
ASSÉDIO232
Portal da CUT publica guia para prevenção de assédio moral