Bancários protestam contra demissões no Itaú

Publicado por:Rogerio Novaes

Cobrança por metas adoece funcionários do Itaú. Sindicato realiza protestos para denunciar realidade de demissões, assédio moral, terceirizações, fechamento de agências e adoecimentos no banco.

O Sindicato dos Bancários de Ribeirão Preto e Região realizou na manhã desta quinta-feira (7) protestos nas principais agências do Itaú, da cidade de Ribeirão Preto, para expor a dura realidade dos trabalhadores do banco, que são submetidos as condições mentalmente insalubres, na qual o assédio moral pelo cumprimento de metas inalcançáveis está fazendo com que dezenas de funcionários se afastem por acidentes de trabalho relacionados a doenças mentais.

Com faixas, distribuição de boletim informativo e palavras de ordem, diretores do BancáriosRP cobraram respeito e o fim da política de gestão que coloca o lucro acima da saúde e da vida de bancários e bancárias.

“Viemos para as agências porque é preciso que a população conheça essa triste realidade e nos ajude a pressionar o banco por mudanças. A violência organizacional está instalada no banco há décadas, porém os programas de remuneração, juntamente com os de avaliação, têm deixado os empregados cada vez mais sobrecarregados e temerosos. É inadmissível é que o bancário perca o emprego e a saúde por conta de um modelo de gestão que o massacra o trabalhador”, ressalta o presidente do Sindicato dos Bancários de Ribeirão Preto e Região, Ronaldo Silvino.

Ricardo Bitar, dirigente do BancáriosRP, que também é funcionário do Itaú, reforçou aos trabalhadores a importância de denunciarem ao Sindicato casos de assédio em decorrência da cobrança de metas inatingíveis, demissão ou qualquer outro abuso. “É muito importante que os bancários nos mantenham informados para podermos tomar todas as medidas em favor da preservação dos empregos, de melhores condições de trabalho e dos direitos da categoria. O Sindicato luta pela categoria e luta por você!”, acrescentou Bitar.

Na avaliação do BancáriosRP, é injustificável que um banco que lucrou mais de R$ 26 bilhões somente nos primeiros nove meses do ano, extinguir postos de trabalho e implementar uma rotatividade tão alta. O Sindicato reivindica ainda que, ao invés de demitir, o Itaú assuma a responsabilidade de realocar estes trabalhadores na própria empresa, além de contratar novos funcionários para aliviar a sobrecarga de trabalho.

Não Se Cale! – Queremos saber sua opinião sobre o que pode ser feito para mudar essa realidade

Clique na imagem para acessar o questionário – Sigilo absoluto:

Menos metas, Mais saúde

Desde abril, o Sindicato vem promovendo a campanha “Menos Metas, Mais Saúde”, para denunciar o assédio e a pressão realizada pelos bancos na cobrança abusiva pelo cumprimento de metas e os prejuízos que esta prática causa nos trabalhadores da categoria. “Estamos reivindicando novamente que as metas e as formas de cobranças do seu cumprimento sejam estabelecidas com a participação dos trabalhadores que terão que cumpri-las, justamente para mudar esse cenário e prevenir o adoecimento”, relembra Silvino.

Boletim Informativo distribuído aos trabalhadores:

 

Relacionados

Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (64)
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (61)
PLR: Alguns bancos já anunciaram data de pagamento
STF
STF veta demissão imotivada de empregados públicos
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (55)
Lucro do Itaú atinge R$ 35 bilhões em 2023 após fechamento...
ASSÉDIO232
Portal da CUT publica guia para prevenção de assédio moral