BB: Justiça confirma liminar que impede extinção e mantém pagamento da função de caixa

Publicado por:Rogerio Novaes

Vitória do movimento sindical: Justiça avalia como ilegal alteração na forma de remuneração dos caixas

A juíza Audrey Choucair Vaz, da 16ª Vara do Trabalho de Brasília, confirmou a liminar que impede o Banco do Brasil de extinguir a função de caixa. A decisão mantém o pagamento de gratificação e sua incorporação aos salários para profissionais com mais de dez anos na função. A magistrada destaca a importância dos princípios da razoabilidade e proporcionalidade diante da decisão unilateral da empresa.

A tutela antecipada foi solicitada à Justiça pelos representantes dos trabalhadores por meio do movimento sindical, com a finalidade de impedir a decisão unilateral da empresa de extinguir a função de caixa.

Uma audiência de conciliação foi realizada no dia 10 de novembro, mas seguiu sem acordo após o BB apresentar proposta insuficiente para a proteção dos trabalhadores.

Na última decisão, que aprecia o mérito do pedido, a magistrada ressaltou não ser “razoável que o empregador, servindo-se da força de trabalho dos empregados em cargo de confiança por mais de 10 (dez) anos, possa simplesmente, por ato unilateral e imotivado, retirar parte significativa da remuneração de tais empregados”, completando que o ato “constituiria arbitrariedade, além de extremo apego à liberdade empresarial, em detrimento excessivo da dignidade e segurança do trabalhador. Daí a necessidade de aplicação dos princípios da razoabilidade e proporcionalidade”.

“É preciso aguardar o trâmite legal. Mas avaliamos de forma positiva a decisão da justiça, que ressalta a proteção à dignidade e à segurança dos trabalhadores, revelando um equilíbrio notável diante da situação”, disse David Zaia, presidente da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS).

Segundo o presidente, o banco tem a possibilidade de interpor recurso contra esta decisão de primeira instância. Contudo, com a pronunciação da juíza, a liminar que assegura a gratificação da função dos caixas permanece em vigor até que novos julgamentos sejam realizados.

Relacionados

FeebSPMS_22022024
BB prioriza diversidade na expansão das Gepes
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (61)
PLR: Alguns bancos já anunciaram data de pagamento
STF
STF veta demissão imotivada de empregados públicos
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (54)
Três chapas concorrem às Eleições Cassi 2024
ASSÉDIO232
Portal da CUT publica guia para prevenção de assédio moral