BB: novas plataformas devem gerar movimentação de 500 funcionários

Publicado por:Rogerio Novaes
Atualização: 18 de agosto 2023

Movimento sindical acompanhará todo processo para que não haja prejuízo às funcionárias e aos funcionários

O Banco do Brasil confirmou a criação de novas plataformas de Centrais de Relacionamento (CRBBs) e de Centros de Apoio aos Negócios e Operações de Logística (CENOPs). As informações foram apresentadas à Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), na manhã desta terça-feira (15).

Ao todo, serão 14 novas unidades (12 CENOPs e 2 CRBBs), localizadas em médias e pequenas cidades. “A criação dessas plataformas vão gerar uma dinâmica de movimentação de cargos dentro da empresa. Então, conversamos com o banco sobre qual será o impacto disso e quais são as soluções para demandas que já vínhamos colocando há anos nas mesas de negociação, que são a alta quantidade de claros [termo para vagas não ocupadas] nos prefixos e a proteção dos funcionários que são caixas”, disse a coordenadora da CEBB, Fernanda Lopes.

Diante da criação dessas novas  plataformas, prevendo que isso vai gerar uma dinâmica de movimentação de cargos   dentro da empresa na região, o presidente do BancáriosRP, Ronaldo   Silvino e o diretor José Augusto Ravaneli, que também funcionário do BB realizaram, na manhã da quarta-feira (17), uma teleconferência com o Superintendente Carlos Giovanio e a Coordenadora da Gepes, Caroline Di Felippo.

Na oportunidade Ravaneli questionou os representantes do banco sobre qual  deve ser o impacto nas cidades da base do sindicato, onde estão os excedentes e as vagas disponíveis. A senhora Caroline informou que não teria como disponibilizar tal  informação, cidade por cidade, não deixando claro qual o tipo de vaga existente, tão pouco a quantidade de excedentes, ainda  segundo Caroline, cada colega ao acessar o Sistema Automático de Concorrência à   Remoção (SACR), encontrará um mapa de oportunidades, com as vagas, cargos e   cidades disponíveis e como o SACR é uma ferramenta individualizada, cada um poderá  fazer sua análise pessoal para a melhor  tomada de decisão. E caso haja qualquer tipo de dúvida, basta ligar na GEPES para todos os esclarecimentos necessários.

O Superintendente Giovanio informou   ainda que certamente há mais vagas do que excedentes e o banco tomou o máximo cuidado para que a movimentação ocorra de forma mais harmoniosa possível.

O banco disponibilizou duas rodadas no SACR, em 18/08 e 22/08, onde prioriza as transferências na mesma praça e mais adiante uma rodada a nível nacional.

Segundo o banco, a criação das 14 plataformas, até novembro, irá gerar cerca de 300 vagas de assistentes e atendentes, nas CENOPs e nos CRRBs, e outras 200 vagas para assessor III, nas unidades estratégicas em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.

Impactos no encarreiramento

Os funcionários que hoje exercem ou recebem a remuneração de caixa executivo e que forem do mesmo município onde serão criadas as plataformas, terão, no período de 30 dias, exclusividade para concorrer às vagas nos novos CENOPs e CRBBs.

O banco declarou ainda que a movimentação não causará impacto na vida do trabalhador que não se candidatar ao certame interno, tampouco haverá transferências compulsórias para preenchimento das vagas.

Em paralelo, o banco anunciou também que, ainda no mês de agosto, ocorrerá a abertura do Sistema Automático de Concorrência à Remoção (SACR) e o início da convocação das pessoas que passaram no último concurso, realizado pelo banco em abril.

Com o SACR, funcionários que querem mudar de prefixo, terão a oportunidade de se movimentar para outras cidades ou regiões do país. Além disso, no prazo de 30 dias, os trabalhadores de três cargos – caixas executivos, assistentes e atendentes -, terão prioridade para concorrer às vagas de assessor III nas unidades estratégicas em Brasília.

“Nós ressaltamos para o banco que ainda precisamos de abertura de muitas vagas para atender a demanda de trabalho dos departamentos e unidades de negócio com claros. O último concurso não foi suficiente para suprir as vagas abertas. Hoje o BB tem o menor número de funcionários nos últimos 18 anos, e a sobrecarga de trabalho ainda é muito grande. Por isso, reiteramos a abertura de novos concursos para ingresso e mais funcionários no banco”, disse o representante da Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (Fetec-CUT/SP) na CEBB, Getúlio Maciel.

“Deve haver novas rodadas de nomeação e ascensão, principalmente para cobrir as vagas de atendente e assistentes que possam ser promovidos para direção geral como assessor III. O movimento sindical irá acompanhar esse processo. Isso resolve paliativamente a sobrecarga de tarefas nas CRBBs e nos CENOPs, necessitando, portanto, de aumento de dotação e de funcionários pra atendimento das demandas que dizem respeito a esses departamentos”, completou.

A empresa ainda destacou que acontecerão ajustes pontuais nas dotações de escriturários das agências, pela impostação de concorrência do SACR. E, com o objetivo de priorizar a participação dos escriturários que adentraram na empresa no último concurso, o BB irá flexibilizar o tempo de carência de 18 para 12 meses na função, bem como para as dependências que têm até 10% de vagas faltantes.

Reflexos negativos

A Federação dos Bancários do Centro-Norte (Fetec-CUT/CN) questionou as regras que o banco elaborou para o projeto, por considerar que elas vão prejudicar os funcionários das regiões Norte e Centro-Oeste e privilegiar as regiões mais desenvolvidas do país. “Como o banco destacou, as vagas serão, em grande maioria, localizadas no Sudeste, no Sul e em capitais, como Brasília, Rio e São Paulo”, ressaltou o representante da Fetec-CUT/CN na CEEBB, Cleiton dos Santos Silva.

Cleiton também observou que o fato de apenas três cargos (caixas executivos, assistentes e atendentes), durante 30 dias, terem prioridade para concorrer às vagas de assessor III, “impedirá que funcionários de muitas agências das regiões Norte e Centro-Oeste, a exemplo do que ocorre em Rondônia, consigam concorrer às vagas, porque as vantagens de aumento de remuneração são insuficientes para a sobrevivência em grandes centros urbanos ou porque trabalham em unidades com muitos claros (falta de funcionários). Até em alguns casos haveria perda salarial. E não estão previstas a destinação de novos funcionários para essas unidades”.

Em resumo, Cleiton observou que “toda a equipe de comissionados dessas unidades ficará ‘presa’ no aguardo da remoção, que em muitos casos chega há quatros anos de espera”.

Entenda:

•             Até novembro, 14 novas plataformas especializadas serão criadas: 12 CENOPs e 2 CRBBs;
•             As plataformas serão implantadas em pequenas e médias cidades, de três regiões do país;
•             Funcionários que hoje exercem ou recebem a remuneração de caixa executivo e que forem do mesmo município terão, durante 30 dias, prioridade na concorrência das vagas nas novas CENOPs e CRBBs;
•             Além disso, durante 30 dias, caixas executivos, assistentes e atendentes terão prioridade para concorrer às vagas de assessor III nas unidades estratégicas;
•             Também foi anunciado que, ainda em agosto, ocorrerá a abertura do SACR, por meio do qual funcionários poderão se inscrever para vagas em outros prefixos;
•             O banco também promete convocar pessoas que passaram no último concurso, realizado em abril.
•             O movimento sindical irá acompanhar toda essa movimentação para que não haja prejuízo às funcionárias e aos funcionários.

Relacionados

Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (84)
PLR na conta: como fica o imposto de renda
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (76)
Sindicato abre o Processo Eleitoral 2024
FeebSPMS_22022024
BB prioriza diversidade na expansão das Gepes
Instagram Post Photo Collage Minimalist Neutral Moodboard Grid Design (61)
PLR: Alguns bancos já anunciaram data de pagamento
STF
STF veta demissão imotivada de empregados públicos